Popular Posts

domingo, 13 de novembro de 2011

O Código de Vieira

Repetidas inaugurações e reinaugurações de Casas do Benfica, e a tónica do discurso do presidente mantém-se em todas elas: a crise vai afectar o Benfica.

A tentativa é, declaradamente e à moda de Sócrates, aproveitar a gravíssima crise portuguesa (e cujas maiores consequências ainda estão para vir) para branquear anos de esbanjamentos incompetentes e desproporcionados. Há anos que muita gente como eu alerta para os perigos da gestão louca que foi feita, e agora que os bancos fecharam (em definitivo?) a torneira, o aperto sente-se em todo o seu esplendor.

Não consigo deixar de pensar que uma tão grande repetição dos avisos sobre a crise em tão pouco tempo, perspectivam uma cagada épica, mesmo tendo em conta a generosa bitola do nosso caro presidente. A necessidade de rapidamente convencer a nação encarnada de que existe um inimigo externo (a crise) que vai obrigar a medidas impopulares para "salvar" o clube, traz certamente água no bico.

O discurso começa aliás a ser parecido com o de 2001. Na altura disseram-nos que a renovação com a Olivedesportos era inevitável pois o Benfica precisava de dinheiro num contexto muito difícil. Ora o contexto muito difícil é o que nos é agora apresentado (pessoalmente para mim não é surpresa, e os muitos textos que já assinei sobre a nossa sustentabilidade financeira não me deixam mentir), e sabendo que existe um contrato de televisão para ser assinado até ao fim desta época desportiva, promete inquietar a nação Benfiquista. Até porque o presidente sabe que só com uma desculpa relacionada com a básica sobrevivência do clube poderá passar incólume à decisão de renovar com o grande sustento da máfia instalada no futebol nacional.

Um rápido olhar para o Relatório e Contas da época passada, permite-nos ver que apesar das receitas tremendas que tivemos (fruto ainda do sucesso da época 2009/10, nomeadamente nas vendas de redpass, e dos prémios da UEFA), fomos altamente deficitários sobretudo devido aos custos financeiros galopantes. Ora eles são resultado sobretudo da espiral de endividamento que começou em 2007, e que nos valeu apenas um título nacional. A crise vem agudizar este facto, sobretudo pela seca das fontes de financiamento e pelos juros mais elevados, mas o facto que sustenta o temporal de que fala o presidente é a sua própria gestão.

Temos esta época importantes contratos de jogadores a merecer atenção. Aimar e Maxi, provavelmente dois dos 3/4 atletas mais importantes dos últimos 5 anos acabam contrato. Maxi ganha muito pouco comparativamente aos colegas, mas para renovar nem me passa pela cabeça que não passe a ser dos mais bem pagos. Aimar é dos mais bem pagos. Será que a direcção os vai deixar cair? Seria muito mais interessante não ter 60 jogadores sob contrato, mas sabemos bem que a austeridade mais simples será deixar cair contratos em fim de validade...

Esta conversa do desinvestimento traz certamente água no bico. Eu já defendo o desinvestimento há vários anos, nunca tive receio de defender essa opção, e sempre disse que não podia ser cega, como por exemplo os nossos rivais da 2ª circular fizeram. Simplesmente tenho é muito medo que os mesmos que não conseguiram captar os devidos sucessos desportivos de um esbanjamento de dinheiro sem precedentes na nossa centenária história, não consigam agora desinvestir com inteligência e critério. Até porque a conversa de perdermos um pouco de competitividade, dita por LFV, me colhe apenas um amarelo sorriso. É que competitividade não tem sido o nosso forte...

Resumindo, o discurso de Vieira está a ser feito de forma a, rapidamente, criar um espaço favorável no seio dos Benfiquistas para que, em ano de eleições, possa provavelmente fazer algumas cagadas épicas. Eu ponho as minhas cartas na renovação com a Olivedesportos e por valores bem abaixo dos pedidos publicamente por Domingos Soares de Oliveira, e se estiver enganado muito humildemente me lerão aqui neste espaço a elogiar o nosso presidente. E muito me surpreenderia que até ao final da época renovássemos com Aimar e Maxi e evitássemos a venda de mais do que um dos habituais titulares.

Assunto a acompanhar.

10 comentários:

Este comentário foi removido pelo autor.

Esta temática deveria merecer uma análise atenta e profunda por parte da nação benfiquista!
Vieira andou dez anos a gastar milhões sem qualquer retorno. Alguém disse e não sem alguma razão, que na Luz havia poços de petróleo.
Os poços de petróleo estão agora à evidência de quem alertou e se manifestou contra o despesismo sem sentido e desnecessário(?) da gestão de Vieira! Ainda este ano Vieira comprou um contentor de jogadores cujo paradeiro de alguns pouco se sabe! E de todas as compras, apenas, repito APENAS um pegou de estaca: Garay! Bruno César e Nolito não são titulares indiscutíveis!
É certo que alguém (Vieira com certeza!) tirou proveitos destas comprar compulsivas e sem critério. Só espero que, feita esta análise, Vieira tenha o prémio que merece nas próximas eleições, que é sem dúvida, a porta de saída e se possível, pela porta pequena!

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

Águia Preocupada. A falar que seja com critério. Então só o Garay pegou de estaca? O Witsel anda a jogar pouco? O Artur também? O Emerson também? E mesmo o Nolito ou o Bruno César, tendo praticamente tantos minutos como Gaitan e ambos com boa média de golos e assistências, não é suficiente para serem importantes? Ainda temos o Enzo Perez que infelizmente se lesionou e não podemos ver se foi mesmo uma boa contratação. Nesta época não podemos falar muito acerca das contratações. É verdade que contratamos muitos jogadores, mas com poucos custos e que estão agora a rodar. Basta que um desses jogadores mostre qualidades na equipa principal para recuperar-mos o investimento que nem foi muito. Aliás já aposto num, Melgarejo, para daqui a uns anos ter lugar no plantel e condições e qualidade para se afirmar.

Se quiseres criticar outras épocas demonstrando quais as contratações que falharam, acho bem. No entanto nesta época, e com esses argumentos não vale a pena falar.

Vieira está a tentar emendar a mão: gastou milhões e o que ganhou não chega para cobrir a trampa que fez. Agora tenta recuperar antes que a coisa bata no fundo, novamente.

Proponho o seguinte: se é para entrar em época de contenção, que se contenha também na parte de usar o Clube para seu benefício nas histórias do cimento. Que faça as coisas por Nós, não por ele.

http://simaoescuta.blogspot.com

Texto lúcido e inteligente sobre a realidade do Benfica.

Confesso que não é novidade para mim esta mudança de discurso. O que mais tem tido Vieira ao longo dos anos é precisamente a esquizofrenia com que fala aos adeptos e, claro, os avisos meio sussurrados antes de atirar a bomba.

Não me passa pela cabeça renovar com a Olivedesportos e estava quase a cair na conversa de que o Vieira deixaria os gajos na mão. Com estes últimos discursos nas Casas, fiquei esclarecido: vamos ter mais do mesmo.

Teorias da conspiração e conjecturas são muito fáceis de inventar. Qualquer medíocre o faz. Por isso em Portugal há tantos. Mas falar de realidades, dar a mão à palmatória, elogiar quem merece, exige coragem, exige carácter, exige honestidade intelectual. Que aqui não há. É pena.

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

Criticar é fácil...mas convém reflectir. 1-Todos os benfiquistas se queixam da dupla fcp/corrupção e ela é perfeitamente visível e facilmente adultera resultados de campeonatos.2- O investimento do fcp no futebol é superior ao do slb de forma quase pornográfica.
3- Erros em avaliação de jogadores... qual é o clube mundial que não os tem...não conheço. 4- Éxitos do slb, com jogadores se calhar até conhecem alguns. 5- Quando Vieira entrou era o fim... a era dos brunos caires e dos sextos lugares e dos calotes...a banca não emprestava... agora empresta...porque existe activo criado que não existia antes...a banca só empresta porque agora existem coisas como o estádio/etc que só vieira queria para avalizar. 6- Desenvestimento porque agora existe uma base de jogadores do plantel eemprestados que dão garantias e...porque é melhor comprar sem concorrência do que com...camarão que dorme a onda leva.

Já o disse em vários sítios, não é sustentável ter 71 atletas na folha de salários. Se o desinvestimento passar pela significativa diminuição de atletas, então tudo bem. Mas o grave é ter muitos atletas medianos e medíocres que nunca terão lugar no Benfica, em vez de ter menos, mas melhor pagos. Quanto à Olivadosporcos - o contrato é de 7,5 milhões de euros anuais, o que nem representa 10% das receitas do clube (exceptuando as transferências).
No Benfica de 2010/11 o olivadosporcos representa 9%, cerca de metade do que a publicidade 17% e um terço da bilheteira (e cativos, etc.) 28%. Em inglaterra a tv representa 51%, na alemanha 33%, em espanha 45%, em itália 60%, na frança 66%. Ok, aceito o argumento que estes países têm mercados maiores e portanto nos dfevemos comparar com holanda 15%, bélgica 25%, escócia 24%, áustria 34%, suécia 13%. O problema é que quer na holanda, quer na suécia, não é a bilheteira a mais importante, mas antes os patrocínios, holanda 56% e suécia 61%(a bilheteira representa 29% na holanda e 26% na suécia). Ou seja, visto que os nossos patrocínios andam pelos 14/15 milhões de euros, bastante inferior à bilheteira 21/23 milhões de euros, nunca a tv pode ter um impacto tão pequeno. Se o problema é a crise, ele que assine um contrato de 2 ou 3 anos com a sporcatv e não mais um contrato de longa duração como anteriormente. Mais ainda, os direitos deles estendem-se até 2013 ou 2014, não sei ao certo, por isso qual a necessidade de vendermos já 5 ou 10 anos por meia dúzia de tostões ? Senão tivermos uma proposta de 20 milhões por ano, como valor inicial e sempre a crescer, mais vale apostar na venda própria do nosso futebol pois se fôr bem trabalhado a nível internacional poderemos atingir valores bem superiores aos 7,5 milhões/ano, porque ao contrário de Portugal e da Europa, há muitas zonas do globo que não estão em crise.

Enviar um comentário